Sua lista de favoritos

Street Food: América Latina (Audiodescrito)

Gênero: 
Audiodescrito

A maioria dos grandes chefs da América Latina é de homens.
Sua culinária de altíssimo nível é a embaixadora da gastronomia de seus países, e muitos deles recorrem a novas técnicas e sabores que misturam à tradição para se destacar.
Essa tradição é a mesma que se mantém viva em quiosques e mercados, que alimenta cidades inteiras que vivem com pressa, onde o que as pessoas querem é comer rápido, gostoso e por pouco dinheiro.
Se algo têm em comum as ruas do México, Argentina, Brasil, Bolívia, Colômbia e Peru são suas barraquinhas de comida, normalmente atendidas por uma mulher.
Disto trata a nova temporada da série Street Food edição América Latina

Em cada episódio, a vida de um protagonista principal (cinco mulheres e um homem) se cruza com a de outras vendedoras e vendedores para contar uma história comum de perseverança, trabalho duro, sabor e identidade.
neste documentário, se juntam ingredientes milenares, receitas antigas, cozinha colonial, influência da migração de séculos passados e sabores da África, Ásia e Europa, que dão como resultado uma gastronomia diversa e saborosa.
Histórias como a de Valentina, Luz e Emiliana narram como estas cozinheiras decidiram vestir o avental para sustentar sua família quando não tinham outra opção.
Suas vidas falam da exclusão das mulheres no mundo profissional latino-americano, de pobreza, violência e marginalização.
Outras, como a história de Pato em Buenos Aires e Tomás em Lima, rompem estereótipos para seguir a tradição familiar da cozinha.
As memelas omeletes com assento (a gordura que se acumula ao cozinhar a carne), queijo e molho de dona Valentina se transformaram em umas das mais reconhecidas da Central de Provisão de Oaxaca.
Com a pesca do dia que seu marido lhe traz, dona Suzana oferece sua famosa moqueca no pátio de seu lar soteropolitano.

E para melhorar mais ainda a qualidade desse documentário, a audiodescrição da série foi feita pelo mesmo audiodescritor de la casa de papel.
Perfeito, não é?